17/04/2016

Tarde demais.

Durante muito tempo pensei que seríamos o certo um do outro. Achei que, se o destino existisse, teria algo bom reservado para nós. Quis muito ter-te a meu lado. Quis ainda mais andar contigo na rua e dar um olhar terrível a quem ousasse observar-te. Parei de ouvir quem dizia que me fazias mal. Insisti. Insisti. Insisti. Ia a correr para os teus braços sempre que me chamavas. Insisti mais uma vez. Todos os encontros acabavam em desilusão. Cansei-me. Mais uma oportunidade. Mais uma desilusão. Sem forças já, insisti outra vez. Ciclo vicioso. A teimosia sempre foi um grande defeito meu. Quis sempre mostrar que estava certa. Acreditei piamente que ficaríamos juntos e quis mostrá-lo a toda a gente. Mudei. Apaguei tudo o que tinha teu na esperança que sentisses a minha falta e finalmente viesses para ficar. Desilusão. Não é que estavas ainda melhor sem mim? Desisti. Nunca fui miúda de noite mas, uns meses depois, viste-me. Tinha trocado as sapatilhas pelos saltos, a roupa que não combinava por um vestido, o rabo de cavalo pelo cabelo solto. De copo na mão, olhei para ti e finalmente percebi. O arrependimento consumia-te. Os papéis inverteram. Ao meu lado, outro rapaz. Afinal o destino somos nós que o fazemos. Tarde demais.

20/07/2014

Finalmente...

Decidi que não vou esperar mais. O que tiver de ser, será. Não vou ser mais a vítima. Não adianta chorar, gritar e implorar o amor de alguém. Isso não resulta. Não vou lamentar-me pelo que podia ter e não tenho. Não vou meter uma pessoa no topo da minha vida, quando ela me mete no fundo. Não vou depender de ninguém, além de mim mesma. É assim que vou ser feliz. Não vou forçar nada. Vou-me deixar levar pela onda que é a vida, sem pensar no momento em que ela vai entrar na rebentação. A pessoa não me quer? Não importa, algum dia em algum momento há-de aparecer alguém. Já passei tempo demais parada, a esperar pelo impossível. Isso acabou. Não me vou arrepender de nada do que fiz ou hei-de vir a fazer, mesmo que pareça moralmente errado. Fiz? Foi porque quis e naquele momento me senti bem em fazê-lo. Quero poder dizer que a minha vida foi uma viagem incrível, que fiz coisas inacreditáveis e que, acima de tudo, me diverti e fui feliz. É assim que vai ser a partir de agora, centrar-me no que me faz bem e largar tudo o que me faz mal.

09/07/2013

Ele diz-me que está a mudar por mim, que o faz por gostar de mim, que me começou a valorizar quando já o devia ter começado a fazer à 6 meses atrás. Nunca me amou e já nem eu sei o que realmente sinto. Até hoje, penso que era apenas mais uma menina apaixonada, como tantas vezes estive e acabei desiludida... Eu mesma o confrontei com o facto de não saber se ainda o amava por todas as vezes em que ele me magoou e eu aguentei, por todas as vezes em que eu sofri calada... até que me fartei. Disse-lhe também que sofri por tanto tempo que me convenci que já não sentia o mesmo de antes. Mas agora que reflicto, talvez seja agora que o amor começou. Nunca tinha reparado na comunicação que os nossos olhos fazem quando nos olhamos fixamente e estamos calados. Apesar das frases contraditórias que lhe disse, enquanto nos olhávamos e o silêncio pairava no ar, eu implorava para que ele reparasse bem na minha calma, tentei que percebesse através dos meus olhos um "amo-te", mas ele não percebeu. Vivemos muito, passámos muito, tanto de bom como de mau. Marcou-me muito, tenho grandes recordações de brincadeiras, beijos, abraços e conversas sérias em que a verdade saía da minha boca sem hipótese de recuar. Não houve ninguém a aturar-me como ele me aturou. Não houve ninguém a suportar as minhas crises tão bem como ele suportou. Não houve ninguém a ficar tanto tempo como ele ficou. Não houve ninguém a perdoar-me como ele perdoou, por todas as vezes em que o tratei mal e tentei afastar. Ele é inteligente e não foi embora. Ele entendeu que as minhas atitudes são o oposto da realidade, entendeu que tudo o que eu preciso é de alguém para cuidar de mim e que jamais ceda às minhas tentativas de fim. Entendeu tudo o que ninguém entendeu e esse é um dos factores da loucura que nutro por ele. Quero-o como não quero mais nenhum rapaz. Ele é a lua e eu o sol. Morro todos os dias para que ele possa viver e brilhar. Honestamente, não me importo e abdicava de muita coisa se esse fosse o preço a pagar pela felicidade dele. Sinto todos os sintomas dessa doença que é o amor mas não me arrisco a dizer-lhe isso, não quero soltar para o ar palavras ilusórias, ando a gastá-las com muito cuidado pois até hoje sinto que só amei 1 vez e sendo assim já houve "amo-te" em relações onde não havia amor. Uma coisa é certa, não há nada mais com que me possa gabar sem ser tê-lo, essa é a minha melhor sorte. (...) Adoro quando sorrimos entre beijos e adoro os sentimentos que ele causa em mim. Só tenho medo de cair, tenho medo do futuro e vivo apavorada com o facto de o poder perder. De tal maneira isso me assusta que chorei mesmo à frente dele, quando eu não choro à frente de ninguém. Tentei disfarçar a situação, tentei inventar desculpas mas ele bem me disse o que realmente era e eu não pude negar. Não acredito que haja alguém que me conheça tão bem como ele. Deu-me motivação para voltar a escrever, mesmo eu já não escrevendo à tanto tempo. Ainda tenho tanto a dizer, mas já não consigo desabafar aqui muitas mais palavras. Preciso dele e acho mesmo que o amo, é tudo o que ainda posso afirmar.

09/04/2013

Tenho muita ambição mas nenhuma motivação. Quase aos 16 anos já sei que vou ser mais um ninguém na vida, nesta idade já me sinto uma falhada. Mas afinal não era suposto divertir-me ? Aproveitar a vida ? Estes tempos servem exatamente para isso, mas eu não consigo suportar. Estou cansada, tão cansada... de dar valor a quem não se importa minimamente. Desejo tantas coisas. Queria ser um motivo de orgulho para a minha mãe, ter alguém que ficasse comigo, me amasse incondicionalmente e nunca me deixasse. Só que simplesmente não dá... As pessoas entram na minha vida, iludem-me, fingem que me amam, mentem-me e depois trocam-me, deixam-me para trás sem mais nem menos. Nunca pedi muito, acho eu... Quero o essencial. Quero um amor eterno, seguir os meus sonhos. (...) Na minha cabeça passam-se 1001 coisas, tenho inúmeros pensamentos, sei lá, tantas revoltas. Eu tenho uma revolução cá dentro que teima em não sair, em não se dar a conhecer. A minha mente acha-se capaz de tudo e, até por vezes, eu mesma acredito que sim, que talvez eu seja capaz, mas não, eu não sou... Quero ser diferente de todo o mundo, quero expressar-me sem medo, quero não depender dos outros, quero não ser influenciada (...). Quero dar uma resposta que cale quem duvida de mim e a quem nunca acreditou que eu fosse capaz de alcançar os meus sonhos. Mas a verdade é que nem eu acredito em mim, a verdade é que posso ter algo a gritar na minha cabeça para ser solto mas mantenho-me calada, deixo-me ser pisada. Eu não sou capaz, eu não tenho ninguém, eu sinto-me sozinha todos os dias. Quanto mais tempo vou aguentar isto ?

22/12/2012

pain.

Custa tanto a tua ausência, custa tanto ver-te online no facebook e não poder falar, custa tanto ver-te feliz sem te importares com o que eu estou a sentir e com todas as coisas que me têm passado pela cabeça. Custa tanto saber que para ti fui só mais uma. Dói tanto, sinto-me tão ridícula por ter acreditado que podíamos ter dado certo. Habituei-me tanto a ti, aprendi a depender de ti e agora ? Abandonaste-me, sinto-me sozinha. Passa-me tanto pela cabeça. A minha alma foi-se embora contigo. O que é que ainda estou aqui a fazer ? Sinto-me inútil, desejo morrer. Comecei a compreender toda a dor das pessoas que se cortam, só querem amenizar o sofrimento psicológico e é disso que eu preciso agora, de me cortar... Sinto cada vez mais vontade de o fazer, imagino cada vez mais os meus braços cortados, quero tanto. Eu não estou doida, eu apenas quero matar o que me magoa. E se não resultar ? Bem, se não resultar partirei para algo pior. Por enquanto, continuo aqui, sem cicatrizes, sem sangue, sem cortes. Mas e o meu futuro ? Eu não sei, a dor em vez de diminuir, só cresce. Acho que é mesmo disto que eu estou a precisar, acho que só assim me vou começar a sentir bem. Eu não me importo se correr mal, até porque a verdade é que não quero mais estar aqui, viva. Eu não estou a aguentar mais.

13/12/2012

end.

Perder-te foi como perder-me completamente. O problema foi ter confiado demasiado em ti, entregar-me de corpo e alma foi o meu maior erro. Eu acreditei que nos teus braços estava segura, pensei que nunca me fosses deixar cair nesse precipício que é a morte, mas deixaste. É difícil assimilar tudo, é difícil continuar a existir sem alma. Só que tenho de me aguentar, tentar pelo menos. Se não conseguir, certamente não farei falta. Mas quem se importa ? Nem mesmo eu. Porém não me amaste, e jamais vou conseguir voltar a pronunciar o teu nome sem ter a palavra desilusão escrita no fim.

07/12/2012

eu sentia falta de carinho, carinho esse que ele ofereceu. com isso, confundi amor com amizade. sim, eu gostava muito dele, mas não era mais que uma simples amizade. por vezes, a nossa carência é tanta que aproveitamos-nos de qualquer coração que apareça no nosso caminho, foi isso que aconteceu. era carinho, um carinho especial, nada mais que isso. pois pouco tempo depois, eu voltei a amar, e desta vez, de verdade. eu era correspondida, mas ele foi embora. eu amo-o, sinto falta, ele já esqueceu. (...)

17/08/2012

da cabeça para o coração.

já te aconteceu viveres um amor impossível ? pois, é exatamente isso que vivo agora, um amor impossível. quereres muito estar com uma pessoa e não poderes, quereres muito dizer-lhe que o amas e não conseguires. e porquê ? sabes que vais ser rejeitada. pelo menos, eu sei. acabei por perceber isso, acabei por entender. pensas que tens ali alguém para a vida, constróis planos na tua cabeça e sonhas com o futuro até mesmo antes de adormeceres. quando acordas, é ele o teu primeiro pensamento. choras e sofres por ele, e ele nem sabe. tens o dom de esconder os teus sentimentos quando sabes que nunca haverá hipótese, não é assim ? exato, por isso é que também eu me afastei dele. por isso é que não sou eu a falar primeiro, e quando falo é pouco ou quase nada. e sabes ? ele não se apercebe de nada. não percebe o porquê de estares assim, nem tenta descobrir, porque para ele...é indiferente. para ele tanto faz que fales ou não. és só mais uma, e sabes disso perfeitamente. não te iludas, o único caminho a seguir é em frente. e se não dá, só tens que o tentar esquecer como 'amor' e recuperar aquela amizade linda cheia de brincadeiras. sim, eu sei que ele é o teu mundo. sim, eu sei que custa. mas princesa, olha bem para essa coroa, se baixares a cabeça, ela cai. sê forte, tudo vai passar, eu prometo.
 

14/08/2012

foi ele que me ajudou a superar aquela dor, foi aquele que me fez acreditar que nem tudo era mau, que nem todos os rapazes eram iguais. esteve lá, fez-me sorrir mesmo estando longe, fez-me rir para o computador feita parva, eu olhava para as fotos dele e dizia que aquele sim, era diferente de todos os outros e que era dos amigos mais verdadeiros que tinha. mas continuei atenta a todos os detalhes, coisas que via e me calava, que sentia mas escondia. não era só comigo que ele era assim, eu não era diferente para ele e mostrou sempre ficar bem sem mim. carreguei no off do orgulho e não desisti dele, tentei sempre não o perder. mas as coisas mudaram, ele ficou frio, ele desligou-se de mim por completo e eu nunca pude recuperá-lo. sempre que decidia falar para que tudo voltasse a ser como dantes, acontecia algo que me fazia recuar, foi o que se passou hoje. acho que vou ter de aprender que nem todas as pessoas vêm para ficar, às vezes ficam só de passagem. sinto que já não há amizade, sinto que o perdi e que com ele foi uma parte de mim. tenho saudades dele...

12/08/2012

foi a falsidade no seu auge.

(...) mas agora só tenho pena. pena que ele não tenha percebido que apesar de tudo, era eu que estava disposta a fazer tudo por ele, a ajudá-lo, a ouvi-lo, etc. o que lhe tinha a dizer, já disse. não é uma simples sms a dizer 'desculpa' que muda tudo o que ele fez. levou as respostas que tinha de levar, dei-lhe a minha sinceridade em troca de toda a falsidade que ele me deu a mim. é passado, deixei-o ir, não fui atrás. desde maio que é assim, desde o dia em que vim a saber coisas que nunca julguei que ele fosse fazer. é, ele fez, mas acho que lhe devo um obrigada. foi graças a isso que abri os meus olhos. foi graças a isso que esqueci as palavras, as chamadas falsas e todo o resto. foi a pessoa mais falsa que tive presente na minha vida ! foi aquele a quem disse tudo, a quem contei segredos que eram só meus, etc. e porquê ? porque pensei que fosse para sempre. grande erro, mas faz parte do passado. escrevo isto porque preciso, mas o sentimento... esse já lá vai. acabou naquele dia e nunca vai voltar, disso tenho a certeza.